terça-feira, 26 de junho de 2012

ETIQUETA VITORIANA PARA PICNICS

 
Etiqueta no Picnic Vitoriano

Piqueniques eram muito populares entre os vitorianos, talvez porque lhes fornecia a oportunidade de escapar dos rituais dos jantares formais. No entanto, os manuais de etiqueta da época sugerem que as regras de um piquenique não devem ser diferentes das de um jantar e as demandas da sociedade sugerem que deve-se ser fiel a essas regras, seja para jantar debaixo da árvore ou sob o lustre.

Piqueniques eram uma forma dos vitorianos escaparem de suas rotinas civilizadas, mas isso não significa que eles estavam sem empregados. Muitas vezes, o alimento era entregue em um carruagem e os convidados eram servidos por não mais que dois ou três funcionários.

criada servindo o prato
De acordo com os manuais de etiqueta, cavalheiros eram instruídos a abandonar as suas próprias necessidades e com consentimento se tornarem os garçons, guias e funcionários para as senhoras e deveriam executar quaisquer façanhas para atender as fantasias das mesmas, mesmo se ela desejasse uma linda flor em um local impossível de chegar.

Os manuais lembram aos cavalheiros que as mulheres têm os nervos mais sensíveis e rápidas imaginações, o que deve ser considerado quando na escolha de um local para o piquenique, assim um local acima de um penhasco escolhido pelo esplendor da vista, pode alarmar os comensais do sexo feminino. Cuidados também devem ser tomados para que os convidados não se sentem em cima de formigueiros. Também deve haver a certeza da sombra, pois é quase impossível para uma mulher segurar a sombrinha durante o almoço e nada é mais desconfortável do que ser exposta a um sol impiedoso.

Cada cavalheiro deve fazer o máximo para ser divertido e interessante. Uma vez que o último pedaço de torta ou bolo foi comido, um cavalheiro deve ter talento musical e ter com ele um instrumento, como uma corneta - que quase não é tolerado em salas fechadas - perfeita para ser executada ao ar livre.

diversão sobre o lago
Também jogos como críquete, cabra cega, pega-pega e depois os convidados se dividirem em grupos separados ou talvez em pares, para explorar a área geral e coletar flores para pendurar e secar; ou irem a floresta  procurar cogumelos selvagens ou musgo. Outros podem vaguear e esboçar desenhos, ou explorar um castelo ou ruínas nas proximidades.          

Se uma mulher escolhe por vontade própria sentar no chão, um cavalheiro não tem a liberdade de seguir seu exemplo, a menos que ele tenha sido convidado a fazê-lo. A senhora não deve ter a oportunidade de pensar na possibilidade de qualquer impropriedade por parte de um cavalheiro. Por mais que um casal queira desfrutar um passeio não devem ficar muito tempo longe da multidão. Uma senhorita que passeia longe por um par de horas com um jovem, deve apenas ser convidada para participar de um segundo piquenique. 

E antes do fim de um belo dia, o manual de etiqueta para piqueniques sugere que é agradável ter um chá das cinco antes de voltar para casa.


            __________________________________


Etiqueta Vitoriana em geral

Graças a mais de 60 guias de etiqueta publicados durante os anos 1870 e 1880, os vitorianos poderiam aprender como se comportar em todas as situações sociais. A "etiqueta", cuja palavra é derivada do verbo estiquer (francês antigo), significa "anexar". 
Boas maneiras são universais, e muitas regras de etiqueta que antes eram baseadas em princípios morais podem continuar a existir hoje.

Na Era Vitoriana uma jovem madame deveria aprender todas as regras de etiqueta, desde como andar na rua a como comer frutas de modo elegante (primeiro tirar a casca com uma faca de prata e cortá-las em pedaços do tamanho de mordidas).

Abaixo estão apenas alguns itens de etiqueta que eram populares naquela época. Muitos destes poderiam ainda ser benéficos na sociedade moderna:

- Meninas vitorianas eram treinadas e preparadas desde pequenas para uma vida dedicada ao lar e à família, e caso não se casasse, dedicar-se iam à caridade. As moças, apesar de avisadas sobre a importância de se agarrar a um homem, eram advertidas a não serem deveras liberais na exibição de seus encantos. Mansidão e humildade eram consideradas belas virtudes.

- Os convites devem ser enviados pelo menos de sete à dez dias antes da data fixada para um evento, e deve ser respondido no prazo de uma semana de seu recebimento, aceitando ou recusando com arrependimentos.

- Nunca empreste um livro emprestado. Retorne aquele que foi emprestado à você acompanhado de uma nota de agradecimento.
O cavalheiro tira o chapéu

- Levante-se com respeito para uma pessoa mais velha ou dignitário.

- Um verdadeiro cavalheiro tira seu chapéu para saudar uma senhora, abre as portas e caminha sempre do lado de fora (N.T: significa andar sempre do lado da guia na rua, protegendo a moça).

- Partir o pão em pedaços, em vez de comer todo o pão.

- Conversar não é falar continuamente, mas ouvir e falar, um por vez.

- Não monopolize conversa ou interrompa um outro falante para terminar sua história para ele.

Conversar é saber ouvir
- E os Cavalheiros, devem ser vistos e não cheirados. Eles devem usar perfume, mas muito pouco, muito perfume é de mau gosto.

- Uma senhora ao atravessar a rua, deve levantar seu vestido um pouco acima do tornozelo, mantendo as pregas do seu vestido juntos em sua mão direita e puxando-os para a direita. É considerado vulgar levantar o vestido com as duas mãos pois irá mostrar demais o tornozelo, mas isso é tolerado quando a lama é muito profunda.

- Uma senhorita deve ser esperada para brilhar na arte da conversação, mas não brilhar muito. Livros de etiqueta sugerem que deve-se concentrar na voz ao invés do conteúdo do discurso, incentivando-se a cultivar um tom diferente, mas suave.

- Quando apresentada a um homem, uma mulher nunca deve oferecer a sua mão, deve simplesmente se curvar educadamente e dizer: "Estou feliz em conhecê-lo."

- Durante o namoro, um cavalheiro visitante pode trazer apenas certos presentes, tais como flores, doces ou um livro. Uma mulher não pode oferecer a um cavalheiro qualquer presente até ele ter estendido um à ela, e então é permitido ela oferecer algo artístico, artesanal e barato.

- Os jovens não devem esperar os amigos darem presentes de casamento. Presentes só devem ser administrados por pessoas com laços de parentesco, ou aqueles que desejam estender um sentimento caloroso de afeto. De fato, em 1873 as palavras "sem recebimento de presentes" eram gravados em cima dos cartões de convites.

- Um cavalheiro pode delicadamente beijar a mão de uma senhora, a testa, ou no máximo, a bochecha.

- Se você está conversando com pessoas que sabem menos do que você, não leve a conversa onde eles não podem ir.

- Uma senhora nunca deve participar de jogos rudes que irão submetê-la a ser beijada ou manipuladas de alguma forma por cavalheiros.

Leia também:Etiqueta no Picnic Vitoriano de SP


Fonte Original
Tradução e pesquisa de imagens de Sana Skull e Revisão por Rommel Werneck.

3 comentários:

Ana Fanini disse...

Adorei o site!

Nichollas Gonçalves disse...

Caros causídicos,

Simplesmente fabuloso. Uma arte e necessidade. Não distante da certa adequação demandada para a era atual.

Jaynne Nunes disse...

Sem dúvidas o convívio social seria melhor se essas regras fossem seguidas até hoje.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...